Avaliação e implementação comunitária de manejo florestal sustentável da caatinga

O bioma Caatinga atualmente apresenta uma cobertura de remanescentes florestais estimada em 53,4% (MMA – base 2009). Historicamente, a vegetação deste bioma tem sido intensamente utilizada para atender as demandas antrópicas, principalmente por lenha, carvão e pastoreio. Uma das principais alternativas para atender a demanda energética consiste na implementação do manejo florestal sustentável da caatinga.

 

 Em 2010 já existiam em torno de 200 Planos de Manejo implementados desde o início dos anos noventa. Paralelamente a estas experiências práticas, uma pesquisa aplicada sobre o manejo florestal da caatinga vem sendo realizada há mais de 20 anos e recentemente vem sendo articulada através da Rede de Manejo Florestal da Caatinga (RMFC).

 

Visando contribuir na consolidação do manejo florestal no bioma, este projeto se propõe a contribuir com a qualificação e consolidação do manejo florestal da caatinga como fonte de renda na zona rural, conservação da biodiversidade e produção sustentada de produtos florestais mediante estudos técnicos e implementação de planos de manejo florestal comunitários.

 

 O projeto prevê a atuação em duas frentes complementares, primeiramente a avaliação técnico-científica do manejo florestal implementado em Planos de Manejo, com o objetivo de obter resultados concretos em situações reais de manejo florestal comercial para complementar a pesquisa conduzida pela (RMFC) Rede de Manejo Florestal da Caatinga e oferecer recomendações práticas de manejo e subsídios para políticas públicas.

 

A segunda frente consiste na implementação do manejo florestal em oito Projetos de Assentamento assistidos pela APNE na região do Semiárido de Pernambuco. Esta ação pretende consolidar o manejo florestal nos assentamentos, bem como desenvolver estratégias e atividades para qualificar o manejo, diversificar a produção e apoiar a comercialização dos produtos, promovendo simultaneamente a capacitação de técnicos e agricultores familiares. A meta é atingir em torno de 2.000 hectares manejados nesta área, bem como uma conservação direta e indireta de outros 2.000 hectares através da manutenção das Reservas Legais e Áreas de Preservação Permanente.

 

Desta maneira, o projeto visa contribuir com a promoção e a consolidação do manejo florestal da caatinga como instrumento de conservação, produção sustentada, geração de emprego e renda na zona rural, combate às mudanças climáticas e desertificação.

 

O projeto é coordenado por Frans Pareyn (APNE) e tem a sua execução planejada para o período de 36 meses. O apoio acontece através dos parceiros locais e regionais da APNE, na realização dos estudos (Comitê Técnico-científico da RMFC), e na implementação do manejo nos assentamentos (Instituto de Terras de Pernambuco, Incra, Sindicatos rurais, ONGs locais),e financeiramente  pelo Tropical Forest Conservation Act (TFCA), através do (Fundo Brasileiro para a Biodiversidade).

APNE - Associação Plantas do Nordeste 

Rua Dr. Nina Rodrigues, 265 - Iputinga - Recife - Pernambuco | CEP: 50.731-280 | 00 55 (81) 3271.4256

  • facebook-square